“A Flor da Gigóia” entra em nova fase de gravações

0
517
“A Flor da Gigóia” entra em nova fase de gravações
 
"A Flor da Gigóia" entra em nova fase de gravações
 
Ponto turístico e bucólico da Barra da Tijuca foi local da descoberta da felicidade da personagem no filme de Ivo Schergl Jr.
 
Com atores e atrizes renomados como Gustavo Novaes, Rafael Queiroz, Marcela Peringer, Cibele Larrama, Charles Paraventi, Babu Santana (atual BBB), Léo Paes Leme, Thogun Teixeira e Raymundo de Souza, “A Flor da Gigóia” pretende desvendar e discutir o que é a felicidade. E também de como cada um reconhece ou não a existência da mesma, como explica Ivo Schergl Jr, diretor e roteirista do filme que inicia a última fase de gravações no Rio de Janeiro, em fevereiro e depois do Carnaval, na Ilha da Gigóia, na Barra. Na primeira etapa, foram quase 40 dias de filmagens. 
 
“É um filme que expõe o cotidiano, dúvidas e angústias, concepções sobre o que é o amor e a vida. Momentos em que as fronteiras entre a verdade e a mentira, o documental e a ficção são postas em crise e revezam, por vezes, a ocupação do espaço fílmico em prol da narrativa”, complementa.
 
Rodada quase em sua totalidade na Ilha da Gigóia, na Barra da Tijuca, a película é uma produção independente de Abaton Filmes com co-produção de Cavídeos, Naymar e Multiphocus Arte e Comunicação. Durante cinco meses, uma equipe de produção se alocou na Gigóia, além de visitar as ilhas vizinhas, em busca de parcerias e locações para retratar o filme com a beleza e encanto do ponto turístico carioca, já que seria necessário muita garra e apoios por se tratar de um projeto sem verba, o que faz com que seja um grande desafio a sua realização.
 
“Certamente meu maior desafio como diretor é conseguir dirigir “A Flor da Gigóia”, realizar. (risos) Por tratar-se de um projeto independente, com pouquíssimos recursos oriundos de colaborações espontâneas através de uma plataforma virtual de financiamento coletivo, os desafios maiores serão sempre a “relação PPC” (planos por cena). Resolver de forma conceitual e estética cada cena com o mínimo de planos possíveis, tenho que ser assertivo e econômico imageticamente, pois a decupagem de câmera dita o andamento do set, tudo tem que estar bem planejado e sucinto. Não sobra espaço para experimentalismos ou dúvidas”, desabafa.
 
Para Gustavo Novaes – Alex no filme -, que forma o casal protagonista da trama junto à personagem Marceline (Marcela Peringer) e também está no ar como Samuel, na novela “Amor de Mãe” da Rede Globo, o diferencial está no roteiro de Ivo. A estória é muito elogiada por ele, que já tem mais de 30 longas gravados em seu currículo. O filme tem como referência o clássico francês, que é um marco na história do cinema, “Crônica de um verão (1961)”, de Jhean Rouch e Edgar Morin.
 
“É um dos roteiros mais interessantes que vi nos últimos tempos, com um desfecho muito bom. É o amor que tá ali, apesar de ser um drama familiar. Eu vim morar na Ilha da Gigóia recentemente e um amigo meu, músico, Rodrigo Scha, pediu pra eu gravar uma cabeça sobre o show dele. Parei pra gravar. Encontrei um amigo, produtor, Felipe Bretas e assim conheci o Ivo, que me convidou para uma leitura. O Ivo me deu o Alex pra ler, um dos personagens principais. Foi assim que embarcamos nessa aventura”, relata.
 
Drama, romance e suspense psicológico permeiam as tramas conduzidas por mistérios e descobertas. De acordo com Ivo, é um filme sobre escolhas, paradoxos entre valores, princípios, convenções e conflitos familiares, sociais e pessoais, principalmente para a personagem Marceline, vivida pela atriz Marcela Peringer. Ela passa por depressão, crise no casamento, excesso de trabalho, uma nova paixão e a doença da filha ainda criança, Cristina (Manu Moraes), que é diagnosticada e faz tratamento de Leucemia.
 
”A Marceline é uma personagem que é um presente pra mim. Chega num momento importante, de retomada da carreira e já uma protagonista, que não é simples, e sim, uma mulher densa. Está sendo um aprendizado muito grande. E aborda temas importantes, como a depressão e a forma de lidar com ela, além  da Leucemia também, e a discussão sobre a felicidade, que para cada pessoa é uma coisa. Se me perguntam: você é feliz? Digo: Eu estou feliz. São momentos”, opina.
 
A previsão de lançamento do filme é em agosto deste novo ano, quando ocorre o Festival de Cinema de Gramado, no Rio Grande do Sul, estado em que nasceu Ivo Schergl Jr. 
 
Mais sobre o diretor e roteirista Ivo Schergl Jr.
 
 
São mais de 20 anos dedicados à produção audiovisual. Dentre as distintas funções desse setor Ivo tem um bom conhecimento e experiência em quase todas. Mas foi no tripé, Roteiro / Direção / Atuação que ele especializou-se.
 
 
Após anos de experiências profissionais trabalhando em emissoras de diferentes estados do Brasil, de vários cursos livres com renomados profissionais do meio, ministrando cursos livres de interpretação, roteiro e direção e de gestão de projetos, buscou o conhecimento acadêmico graduando-se em produção Audiovisual com ênfase em cinema.
 
 
Desenvolveu e produziu projetos especiais durante nove anos na emissora de televisão SBT do Rio Grande do sul, bem como programas de TV, seriados, minisséries, programetes, merchans e afins. Trabalhou com várias produtoras como Zeppelin Filmes, TGD, Oxigênio dentre outras.
 
Hoje dirige a Abaton Filmes, que cria conteúdos audiovisuais. No cinema, foi premiado em vários festivais com o documentário “Chá das Três”, já tendo dirigido vários curtas-metragens e conquistando prêmios mundo afora, com um longa em desenvolvimento.
 
 
Conhecido pela criatividade e audácia narrava e estética, podemos afirmar que Ivo Schergl Jr., sempre que se envolve em um projeto, o que podemos esperar é surpreendermo-nos positivamente com sua capacidade e experiência.
 
 
Contatos com a Imprensa:
 
 
Íris Marini
 
Assessora de imprensa / Redatora/ Jornalista/ 
 
Social Media/ Analista de Marketing de Conteúdo
 
 
 
21 99778-9561
 
 
Mais sobre A Flor da Gigóia em aflordagigoiaofilme.com.br

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here