“O Beijo no Asfalto” e “Aurora 1964” vencem o Festival Agenda Brasil em Milão

0
1302

“O BEIJO NO ASFALTO” E “AURORA 1964” VENCEM O FESTIVAL AGENDA BRASIL EM MILÃO

O Beijo no Asfalto" e "Aurora 1964" vencem o Festival Agenda Brasil em Milão

O Beijo no Asfalto" e "Aurora 1964" vencem o Festival Agenda Brasil em Milão

O Beijo no Asfalto" e "Aurora 1964" vencem o Festival Agenda Brasil em Milão

O filme de Murilo Benício, baseado na peça de Nelson Rodrigues, também ganhou o prêmio do júri popular junto com “Alguma coisa assim”

Os filmes “O beijo no asfalto“, de Murilo Benício, e “Aurora 1964“, de Diego Di Niglio, ganharam os prêmios do júri especializado da oitava edição do festival Agenda Brasil, em Milão, respectivamente, nas categorias ficção e documentários. A cerimônia de premiação do mais importante evento sobre cinema brasileiro contemporâneo na Itália aconteceu na noite de domingo no Museu Interativo do Cinema (MIC), após uma semana de exibições – de 8 a 14 de julho.

“O beijo no asfalto“, a estréia na direção do famoso ator brasileiro, foi duplamente recompensado: o público também o escolheu como a melhor ficção, junto com “Alguma coisa assim“, de Esmir Filho e Mariana Bastos. Como documentário, a escolha popular foi para “Tente entender o que tento dizer“, de Emília Silveira.

O júri também dedicou menções honrosas ao filme “Tungstênio“, de Heitor Dhalia, pela direção e a fotografia, e à atriz Samira Carvalho Bento, pelo papel de “Keila” nessa mesma produção; ao ator Thales Cabral, que interpretou Vinicius no filme “Yonlu“, de Hique Montanari; e o documentário “Clementina“, de Ana Rieper.

Organizado pela Associação Vagaluna e produzido pela Christoffel Promoções e Produções, em colaboração com a Fundação Cineteca Italiana, Agenda Brasil é realizado com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) – Ancine e patrocínio do Consulado-Geral do Brasil em Milão, além do apoio institucional da Embaixada do Brasil em Roma.

Baseado na famosa peça teatral do dramaturgo Nelson Rodrigues, um dos mais importantes do século passado no Brasil, “O beijo no asfalto” conta com um elenco estelar (incluindo Fernanda Montenegro e Lázaro Ramos) e conta a história de Arandir, um jovem bancário que socorre um homem atropelado por um ônibus que pede, como último desejo, um beijo. O trabalho venceu, de acordo com as motivações do júri especializado, “Pela sua reflexão moderna e fora dos cânones ao reinterpretar uma peça teatral de sessenta anos atrás”. O diretor Murilo Benício enviou um comunicado à produção do Agenda Brasil dizendo que “ficou profundamente honrado e emocionado com os prêmios e que, em nome de todo o elenco e da equipe, agradece ao público e aos organizadores do festival”.

Aurora 1964” retrata a vida de pessoas marcadas pela ditadura estabelecida após o golpe militar de 1964 no Brasil, e foi filmado em Recife, cidade onde o diretor italiano vivia. “Um trabalho multifacetado que tenta preencher os vazios e silêncios da memória histórica. Sua força reside na multiplicidade e na variedade dos dramas humanos que apresenta “, explicaram os especialistas.

Tungstênio“, inspirado na homônima graphic novel de Marcelo Quintanilha, se passa em Salvador, onde um sargento aposentado recorre à ajuda de um traficante para impedir que dois homens pesquem com dinamite, mas nada acontece como planejado. “Clementina” narra a vida de Clemente de Jesus – cantora de voz excepcional, neta de escravos, que carregava consigo um repertório ancestral e representava um elo vivo entre o Brasil e a África -, sem esquecer o drama da condição dos negros no país hoje.  “Alguma coisa assim“, desenvolvido a partir do curta-metragem homônimo premiado na 45ª Semana da Crítica do Festival de Cinema de Cannes de 2006 e realizado com os mesmos atores, se baseia nos 10 anos da relação de um jovem casal, percorrendo os momentos em que o relacionamento é colocado à dura prova. “Tente entender o que tencionar” lida com o dia-a-dia de seis pessoas soropositivas das mais variadas classes sociais, ocupações, orientações sexuais e religiosas, para mostrar que suas vidas ainda são cheias de possibilidades e alternativas.

“O Brasil, a sua arte e a sua realidade são de grande interesse para os italianos, e a prova está na significativa afluência de espectadores durante toda a semana do festival. Do drama à comédia, dos documentários de denúncia àqueles sobre a cultura brasileira, os mais diversos gêneros encontraram um público curioso, atento, que participou dos debates com os diretores e saía comovido da sala no final das exibições. Isso tudo só confirma a força do nosso cinema“, Regina Marques, diretora do evento.

Para sua realização em Milão, a Agenda Brasil conta também com o apoio da Leadership Freight, Publiship Logistics, Caffè Bonomi, Avenida Viaggi, Maria Bonita Estética e Renan Contareli Servizi. Em 2019, a Associação Vagaluna organiza o festival também em Roma (de 5 a 8 de setembro) e em Turim (de 4 a 6 de outubro).

AGENDA BRASIL – Festival Internacional di Cinema Brasileiro – VIII edição

Milo 8 – 14 de julho de 2019 – www.vagaluna.

 

                       Comunicazione Carioca – Paula Acosta  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui