28.3 C
Nova Iorque
sexta-feira, julho 30, 2021

Buy now

As várias etapas que compõem um bootcamp de programação

As várias etapas que compõem um bootcamp de programação

* Por Mateus Félix

Pensando nos avanços da tecnologia e nas novas demandas do mercado de trabalho, percebemos que ter conhecimentos na área de programação é uma grande vantagem competitiva. Mas uma pergunta muito comum é: como entrar nesse mundo? Cursos online ajudam? Qual a diferença de um curso online para um curso presencial de programação? Onde encontro esse tipo de curso?

Como ex-aluno de um curso de Web Development, posso afirmar que há muita diferença entre um curso online e um bootcamp de programação. Eu já havia tentado aprender a programar em cursos online e a primeira coisa que lhe digo é que “programador” e “desenvolvedor” são coisas muito diferentes. Você pode aprender uma linguagem de programação vasculhando a Internet, mas não se tornará um desenvolvedor. Pelo menos, não a tempo de entrar no mercado de trabalho porque, a essa altura, seu conhecimento já estará defasado.

É aí que está a vantagem de um bootcamp de programação: um curso imersivo onde você pratica todos os dias, durante várias horas, tudo o que aprendeu até aquele momento.

Cotidiano

As aulas envolvem um pouco de teoria e muita prática todos os dias. O professor começa com o conteúdo teórico, mas realizando exemplos práticos, que os alunos acompanham em tempo real e programam junto (code along). Após a explicação, inicia-se o trabalho em duplas (pair programming), onde cada dupla deve completar o desafio usando apenas um computador, alternando entre quem digita o código e quem decide a forma de abordar o problema. Todos os dias, a dupla é diferente, escolhida aleatoriamente, e permanece durante todo o dia. Essa metodologia permite trabalhar habilidades de comunicação, trabalho em equipe, empatia, muitas vezes humildade, assim como o próprio conhecimento de programação. Nem sempre o seu par terá o mesmo nível de conhecimento que você. Às vezes, terá mais, às vezes menos.

Em seguida, há o trabalho individual diário onde você aplica novamente o que aprendeu no dia. Ambos os trabalhos, o individual e em dupla, devem ser entregues até o dia seguinte, antes do início da aula.

O melhor é que todos os exercícios e projetos são feitos no computador próprio do aluno, ou seja, você pode continuá-lo em casa ou em qualquer outro lugar. Ao finalizar o curso, você estará pronto para usar seus próprios projetos como referência para trabalhos futuros e seu computador estará configurado do jeitinho que você precisa para começar a carreira como um desenvolvedor full stack.

Feedbacks

Os alunos recebem feedbacks diários sobre seu desempenho durante o curso. Todos os dias, há uma revisão sobre o que a turma achou mais difícil dos exercícios do dia anterior, feedbacks individuais sobre os trabalhos, mostrando onde podiam melhorar e que ferramentas utilizar para completar o que foi proposto.

Avaliações e notas

Não há provas ou testes. As notas são calculadas a partir dos exercícios diários. Cada exercício possui desafios que devem ser concluídos e também extras. Assim, avalia-se se o aluno está conseguindo acompanhar o curso e onde precisa melhorar. Essa avaliação serve tanto para o aluno, como para o professor e seus assistentes saberem como podem ajudar.

Como são aplicados os exercícios

Todos os dias, são apresentados aos alunos dois exercícios sobre o conteúdo abordado no dia. Um deles é sempre feito em dupla e outro individual. Cada um envolve desafios de programação em Javascript e HTML / CSS em dificuldade crescente. Dessa forma, ao final do curso, com tudo o que foi aprendido, você desenvolve uma aplicação web completa: desde a configuração do servidor e integração com o banco de dados ao front-end utilizando um framework.

O curso consiste de três módulos e, a cada três semanas, os alunos desenvolvem um projeto utilizando as ferramentas aprendidas. Estes projetos servirão como portfólio na hora das entrevistas de emprego.

Semana da Contratação

Ao final do curso, acontece a “Hiring Week”. Várias empresas que necessitam de programadores são convidadas a participarem do evento, onde o objetivo é entrevistar os alunos recém-graduados já com a intenção de contratá-los. Todos os alunos são postos em mesas com os entrevistadores e tem 10 minutos para apresentarem seus projetos e trocarem contatos. Quando acaba o tempo, os alunos se movem nas mesas para falarem com os outros entrevistadores. Dessa maneira, é possível ser entrevistado por mais de 30 empresas em três dias.

E não se preocupe sobre como se comportar nas entrevistas porque durante o curso também há workshops sobre como organizar seu currículo, que tipo de perguntas são feitas nas entrevistas, quais testes são mais comuns para serem aplicados nas provas técnicas etc. O suporte ao aluno não se limita ao curso.

Networking

Os ex-alunos têm acesso à comunidade global dos Alumni, podendo interagir com outros estudantes de outros campi ao redor do mundo, visualizar ofertas de emprego em outros países, conseguir parceiros programadores e designers para desenvolver sua startup ou só bater-papo.

Modelo de ensino

A Ironhack, escola onde fiz o curso, valida seus cursos antes de implementá-los em seus campi. Como é uma empresa multinacional e não um modelo de franquias, os currículos dos cursos oferecidos é sempre igual e conta com a mesma metodologia de ensino. Isso significa que fazer um dos cursos da Ironhack em São Paulo capacita o estudante da mesma forma que cursar no campus de Madrid, Miami, Berlim ou qualquer uma das outras cinco cidades ao redor do mundo.

* Mateus Félix é formado em Web Development pela Ironhack Madri e atualmente é Teacher Assistant na Ironhack São Paulo. A Ironhack é uma escola de programação global com presença em oito países, que atua em modelo de bootcamp.

Oi. Bom dia. Tudo bem?

Escrevo para sugerir um artigo exclusivo sobre o dia a dia de um curso de bootcamp de programação. O conteúdo foi desenvolvido pelo professor da Ironhack, Mateus Félix.

Obrigada!

Abs.,

As várias etapas que compõem um bootcamp de programação

* Por Mateus Félix

Pensando nos avanços da tecnologia e nas novas demandas do mercado de trabalho, percebemos que ter conhecimentos na área de programação é uma grande vantagem competitiva. Mas uma pergunta muito comum é: como entrar nesse mundo? Cursos online ajudam? Qual a diferença de um curso online para um curso presencial de programação? Onde encontro esse tipo de curso?

Como ex-aluno de um curso de Web Development, posso afirmar que há muita diferença entre um curso online e um bootcamp de programação. Eu já havia tentado aprender a programar em cursos online e a primeira coisa que lhe digo é que “programador” e “desenvolvedor” são coisas muito diferentes. Você pode aprender uma linguagem de programação vasculhando a Internet, mas não se tornará um desenvolvedor. Pelo menos, não a tempo de entrar no mercado de trabalho porque, a essa altura, seu conhecimento já estará defasado.

É aí que está a vantagem de um bootcamp de programação: um curso imersivo onde você pratica todos os dias, durante várias horas, tudo o que aprendeu até aquele momento.

Cotidiano

As aulas envolvem um pouco de teoria e muita prática todos os dias. O professor começa com o conteúdo teórico, mas realizando exemplos práticos, que os alunos acompanham em tempo real e programam junto (code along). Após a explicação, inicia-se o trabalho em duplas (pair programming), onde cada dupla deve completar o desafio usando apenas um computador, alternando entre quem digita o código e quem decide a forma de abordar o problema. Todos os dias, a dupla é diferente, escolhida aleatoriamente, e permanece durante todo o dia. Essa metodologia permite trabalhar habilidades de comunicação, trabalho em equipe, empatia, muitas vezes humildade, assim como o próprio conhecimento de programação. Nem sempre o seu par terá o mesmo nível de conhecimento que você. Às vezes, terá mais, às vezes menos.

Em seguida, há o trabalho individual diário onde você aplica novamente o que aprendeu no dia. Ambos os trabalhos, o individual e em dupla, devem ser entregues até o dia seguinte, antes do início da aula.

O melhor é que todos os exercícios e projetos são feitos no computador próprio do aluno, ou seja, você pode continuá-lo em casa ou em qualquer outro lugar. Ao finalizar o curso, você estará pronto para usar seus próprios projetos como referência para trabalhos futuros e seu computador estará configurado do jeitinho que você precisa para começar a carreira como um desenvolvedor full stack.

Feedbacks

Os alunos recebem feedbacks diários sobre seu desempenho durante o curso. Todos os dias, há uma revisão sobre o que a turma achou mais difícil dos exercícios do dia anterior, feedbacks individuais sobre os trabalhos, mostrando onde podiam melhorar e que ferramentas utilizar para completar o que foi proposto.

Avaliações e notas

Não há provas ou testes. As notas são calculadas a partir dos exercícios diários. Cada exercício possui desafios que devem ser concluídos e também extras. Assim, avalia-se se o aluno está conseguindo acompanhar o curso e onde precisa melhorar. Essa avaliação serve tanto para o aluno, como para o professor e seus assistentes saberem como podem ajudar.

Como são aplicados os exercícios

Todos os dias, são apresentados aos alunos dois exercícios sobre o conteúdo abordado no dia. Um deles é sempre feito em dupla e outro individual. Cada um envolve desafios de programação em Javascript e HTML / CSS em dificuldade crescente. Dessa forma, ao final do curso, com tudo o que foi aprendido, você desenvolve uma aplicação web completa: desde a configuração do servidor e integração com o banco de dados ao front-end utilizando um framework.

O curso consiste de três módulos e, a cada três semanas, os alunos desenvolvem um projeto utilizando as ferramentas aprendidas. Estes projetos servirão como portfólio na hora das entrevistas de emprego.

Semana da Contratação

Ao final do curso, acontece a “Hiring Week”. Várias empresas que necessitam de programadores são convidadas a participarem do evento, onde o objetivo é entrevistar os alunos recém-graduados já com a intenção de contratá-los. Todos os alunos são postos em mesas com os entrevistadores e tem 10 minutos para apresentarem seus projetos e trocarem contatos. Quando acaba o tempo, os alunos se movem nas mesas para falarem com os outros entrevistadores. Dessa maneira, é possível ser entrevistado por mais de 30 empresas em três dias.

E não se preocupe sobre como se comportar nas entrevistas porque durante o curso também há workshops sobre como organizar seu currículo, que tipo de perguntas são feitas nas entrevistas, quais testes são mais comuns para serem aplicados nas provas técnicas etc. O suporte ao aluno não se limita ao curso.

Networking

Os ex-alunos têm acesso à comunidade global dos Alumni, podendo interagir com outros estudantes de outros campi ao redor do mundo, visualizar ofertas de emprego em outros países, conseguir parceiros programadores e designers para desenvolver sua startup ou só bater-papo.

Modelo de ensino

A Ironhack, escola onde fiz o curso, valida seus cursos antes de implementá-los em seus campi. Como é uma empresa multinacional e não um modelo de franquias, os currículos dos cursos oferecidos é sempre igual e conta com a mesma metodologia de ensino. Isso significa que fazer um dos cursos da Ironhack em São Paulo capacita o estudante da mesma forma que cursar no campus de Madrid, Miami, Berlim ou qualquer uma das outras cinco cidades ao redor do mundo.

* Mateus Félix é formado em Web Development pela Ironhack Madri e atualmente é Teacher Assistant na Ironhack São Paulo. A Ironhack é uma escola de programação global com presença em oito países, que atua em modelo de bootcamp.

 

As várias etapas que compõem um bootcamp de programação

 

Related Articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Latest Articles