-0.5 C
Nova Iorque
terça-feira, novembro 30, 2021

Buy now

Imersão em startup no exterior como funciona

Imersão em startup no exterior como funciona

Imersão em startup no exterior: como funciona e porque viver a experiência

Maior ONG de liderança jovem do mundo fala sobre a imersão profissional internacional; Egito, México, Colômbia, Índia, Grécia e Peru são os destinos mais procurados

São Paulo, outubro de 2018 – A vivência internacional se tornou comum para jovens que buscam experiência e desenvolvimento pessoal e profissional. Um modelo que pode aperfeiçoar ainda mais o currículo têm atraído os intercambistas: a vivência de imersão em alguma startup fora do Brasil. Desde 2016, a AIESEC, maior ONG de liderança jovem do mundo, já registrou mais de 6 mil viagens como essas, sempre com o objetivo de agregar valor ao ínicio da carreira.

Em 2017 foram realizados 457 viagens e neste ano, o registro é de 413 jovens, entre aqueles que vieram para o Brasil e os que foram para o exterior. A previsão é que mais 900 jovens façam o intercâmbio empreendedor até o fim de 2018.“Acreditamos que o jovem que busca esse tipo de experiência, quer abrir seu negócio, trabalhar em seu ramo de atuação no Brasil, além de aplicar os conhecimentos adquiridos na faculdade, durante as férias. A experiência é enriquecedora e o objetivo é desenvolver um líder empreendedor”, destaca Gabriela Toso, Diretora de Relações Públicas da AIESEC.

O trabalho junto de startups pode ser realizado em diversas áreas como Tecnologia, Marketing, Business e Design, pelo período de 6 semanas até 3 meses e é importante estar cursando ensino superior ou já ter formação completa. O jovem precisa ter no mínimo, conhecimento acadêmico ou profissional na área de escolha dele e aptidão intermediária em inglês . O custo varia em torno de R$ 6 mil reais, e tudo depende do destino e para qual projeto ele será encaminhado, pois alguns oferecem auxílio moradia, alimentação e transporte. E apesar de não ser remunerado, a bagagem que irá trazer para o Brasil, vale muito.

“É uma oportunidade de explorar a criatividade, viver a diversidade, encarar desafios de maneira positiva, ganhar conhecimento com profissionais internacionais e ampliar seu network”, afirma Toso.

Personagem

A intercambista Juliane Biazon, de 21 anos, foi para a Grécia participar do projeto empreendedor. Para ela, a experiência ajudou a se destacar no mercado de trabalho. “Atuei em uma startup de finanças, na área de marketing – o curso que me graduei. O projeto imersão me ajudou a abrir a cabeça para novos pensamentos do mundo profissional e a desenvolver minhas habilidades no setor”, explica.

Para participar, os interessados devem fazer suas inscrições no portal da AIESEC:http://bazicon.aiesec.org.br/expa/sign_up?programa=GE&campanha=prmedia. Após isso, o jovem passa por uma entrevista do comitê para onde deseja ir e quando aprovado, recebe todo o suporte da ONG para a realização do intercâmbio.

Sobre a AIESEC

Fundada em 1948, a AIESEC, organização sem fins lucrativos e reconhecida pela UNESCO como a maior gerida por jovens, nasceu com o objetivo de oferecer na prática experiências de gestão, trabalho em equipe e vivência internacional a jovens universitários. Atua no Brasil há mais de quatro décadas com 51 escritórios espalhados por diversos estados.

 

Imersão em startup no exterior como funciona

Related Articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Latest Articles