29.4 C
Nova Iorque
sábado, junho 25, 2022

Buy now

Para “Fechar os Olhos e Ver”

PARA “FECHAR OS OLHOS E VER”

Cordel, segundo single do duo Pablo Lanzoni e Thiago Colombo, tem as participações de Bianca Gismonti e Leandro Maia e chega às plataformas digitais em 24 de março

Ouça aqui “Cordel”:

Porto Alegre, março de 2022 – ‘Cordel’ é o segundo single do projeto cancionista ‘Delírio Geral’ de Pablo Lanzoni e Thiago Colombo, no qual investem a partir do formato violão e voz. Contudo, diferente da sonoridade apresentada em ‘Deus na Laje’, música lançada pelo duo em fevereiro, na qual o violão era o elemento instrumental norteador da canção, Cordel propõe um diálogo íntimo entre o piano de Bianca Gismonti e o violão de Colombo. Um encontro contrapontístico e rítmico, acrescido de conteúdos percussivos e texto poético.

Para "Fechar os Olhos e Ver"

As sonoridades de Cordel nasceram do piano de Bianca Gismonti e, sobre ele, foram criadas as demais matizes instrumentais. Thiago Colombo recorda que: “Infelizmente, a circunstância da pandemia não permitiu que a concepção e a gravação com a Bianca fosse presencial. Mesmo assim, o trabalho foi muito fluido. Começou como um grande desafio, já que a demo do piano veio muito completa, prescindindo, de certa forma, de qualquer outro material musical sobreposto. Meu trabalho, então, foi encontrar os espaços, de uma forma bem cirúrgica, visto que eram poucos. As mensagens de áudio da Bianca comentando os experimentos ajudaram bastante nessa empreitada e, assim, fomos arredondando o duo”.

Leo Bracht, que assina a produção musical, comenta que a concepção sonora “partiu da necessidade de se evidenciar uma camada interpretativa da composição que nos conectasse com a natureza cultivada pelos povos originários. Uma espécie de multiverso à realidade…”. Tamanho misticismo provém diretamente do texto produzido por Leandro Maia para a canção. O compositor  recorda que “o Pablo me enviou o tema de Cordel já com este título para ser feita a letra e foi inspirada nos cegos poetas cantadores (Cego Aderaldo, Patativa do Assaré, As irmãs Regina, Maria e Conceição), que nos ajudam a enxergar o impossível e superar a escuridão. A letra aborda a ideia de inspiração conectada aos elementos da natureza e do cosmos”.

            Cordel, música de Lanzoni e Maia, chega às plataformas digitais em 24 de março e é o segundo single do projeto-álbum ‘Delírio Geral’ de Pablo Lanzoni e Thiago Colombo, programado para junho de 2022, e que, além de Bianca Gismonti e Leandro Maia, conta com outras participações especialíssimas: Vitor Ramil, Valéria Barcellos, Celso Loureiro Chaves, Paola Kirst, Bebe Kramer, Guto Wirtti e o Trio de Leves do Bloco da Laje. O cronograma de lançamento prevê quatro singles e um videoclipe até a estreia do álbum.

 

Ouça ‘Cordel’ aqui

Veja a capa de ‘Cordel’ aqui

Fotos de Pablo Lanzoni, Thiago Colombo, Bianca Gismonti e Leandro Maia aqui

Pré-save https://tratore.ffm.to/cordel

 

sobre a/os artistas:

 

Pablo Lanzoni é compositor, professor e regente. Seu álbum de estreia, POA_MVD, foi eleito o Melhor Álbum de MPB no Prêmio Açorianos de Música 2016/17 e citado dentre os dez lançamentos nacionais daquele ano pelo Jornal Zero Hora. Completa sua discografia ‘valentia tempo voz’ (2020), que contou com a participação especialíssima de Zeca Baleiro, e os singles ‘Do chão’ (2021), em parceria com Paola Kirst, e ‘Miragem’ (2021), com Mário Falcão. Tem circulado em espaços da cena autoral e pertenceu a projetos cancionistas, com os quais apresentou-se no Brasil, Uruguai, Cuba e Itália.

 

Thiago Colombo é compositor, violonista e professor da UFPel, bacharel e mestre em Música pela UFRGS e doutor pela UFBa. Foi premiado em concursos no Brasil, Argentina, Portugal e Espanha. Em sua discografia estão: Sonata (2003), Reminiscências (2006), Trezegraus (2009) e Latin Guitar Connections (2017), com os quais recebeu cinco Prêmios Açorianos de Música. Colombo atuou como concertista e palestrante em festivais de música da Argentina, Uruguai, Peru, França, Rússia, Itália, Alemanha, Inglaterra, Holanda e Portugal, além de grande parte do território brasileiro.

 

Bianca Gismonti nasceu em uma família de músicos. Iniciou sua carreira musical cedo, começando a tocar com seu pai, Egberto Gismonti, aos 15 anos de idade. Estreou o Duo Gisbranco (duo de pianos formado com a pianista Claudia Castelo Branco) em 2005, completando 15 anos de carreira em 2020 com 3 CD’s e 1 DVD lançados; além de parcerias com músicos como Chico César, Jaques Morelenbaum, MPB4 e Lan Lanh. Com o seu trabalho autoral, formou o Bianca Gismonti Trio em 2012 com Julio Falavigna na bateria e Antonio Porto no baixo, tendo percorrido dezenas de países pelo mundo em diversas turnês internacionais, lançando seus 3 CD’s. Em 2018 gravou seu quarto CD, “Gismonti 70”, com o mesmo Trio, homenageando a obra de seu pai, Egberto, que será lançado em 2022. Ainda neste ano de 2022, gravará o quinto disco, na formação de piano/voz, bateria e percussão; com arranjos inéditos e originais para canções dos grandes compositores da MPB que marcaram a sua formação musical.

 

Leandro Maia é cantor e compositor reconhecido dentro e fora do país. Professor do Centro de Artes da UFPEL, é também ativista cultural com Doutorado em Música pela Bath Spa University (Reino Unido), Mestrado em Literatura Brasileira (UFRGS) e Licenciatura em Música (UFRGS). Vencedor do Prémio Ibermúsicas de Composición de Canción Popular concedido pela Organização dos Estados Ibero-americanos, Leandro possui também cinco Prêmio Açorianos de Música (Grupo MPB/Café Acústico, 1999 e 2000), Revelação (Palavreio, 2008), Melhor Disco Infantil (Mandinho, 2012) e Melhor Intérprete MPB (Suíte …, 2014), além de indicações como compositor (Suíte…), espetáculo (Suíte e Mandinho…) e disco (Suíte…). Também recebeu dois Prêmios Brasil-Sul de Música como melhor álbum e intérprete (Mandinho). Com três premiados discos gravados, participações em diversos trabalhos e reconhecimento através de premiações e distinções, Leandro Maia celebrou 20 anos de carreira contados a partir da conquista do II Festival de Música de Porto Alegre, em 1999, com o grupo Café Acústico. Em 2020 lançou o filme “Paisagens”, com direção de Juliano Ambrosini e Nando Rossa (Bumbá). Em 2021, publicou sua pesquisa de mestrado, intitulada “Quereres de Caetano: da canção à Canção”, pela Editora Paco Editorial. Atualmente prepara seu novo trabalho intitulado “Guaipeca: uma ilusão autobiográfica”.

 

Ficha técnica:

Pablo Lanzoni: voz

Thiago Colombo: violão

Bianca Gismonti: piano

Leandro Maia: voz, coros e assovios

Leo Bracht: derbak, carron, arranjos vocais e coros

 

Produção, mixagem e masterização: Leo Bracht (Transcendental Audio)

 

Gravado no Transcendental Audio, em Porto Alegre/RS, entre janeiro e agosto de 2021, por Leo Bracht, e na casa de Bianca Gismonti, no Rio de Janeiro/RJ, em março de 2021, por Julio Falavigna.

 

capa:

Fotografia da capa: Guilherme Santos

Arte: Leo Lage

 

 

 

Cordel (Pablo Lanzoni/Leandro Maia)

 

Quando vestiu o anel de Saturno

Todo o universo em seu polegar

Ponta do dedo aponta o futuro

Nas línguas de fogo em forma espiral

 

Tudo o que vou eu vou contar

Tal como aconteceu

Ali

Pode até debochar

Pode até duvidar

De mim

 

A nave quando sumiu do planeta

Levando seu corpo pra levitar

No pó da galáxia feito peneira

Do ouro do sol que podia pegar

 

Foi quando sol brilhou

E o olho esfarelou

Cego de tanta luz

Cego cantador

 

Íris que se eclipsou

Lapso de ver demais

Luas feito mil faróis

De cílios siderais

 

Ganhar voz perder visão

Isso é o que um mestre faz

Versos do seu violão

Vem longe dos portais                                 

Verso noturno

Vem de Saturno

Verso diurno veio do além, ê meu bem

 

Quando o futuro

Segue no escuro

E o tempo é duro

Fecho meus olhos para ver

 

Quando o futuro

Segue no escuro

E o tempo é duro

Fecho meus olhos pra te ver

 

 

 

Related Articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -
  • Mosquito Produções
20,1k Followers
Follow

Latest Articles